/ Austrália, Gold Coast, Intercâmbio, Sydney/ 16 comments

Decida seu intercâmbio na Austrália em 9 dicas!

Em 2009 eu fiz um intercâmbio na Austrália. Foram 3 meses de puro aprendizado, acredito que o idioma seja o menor deles. E vou fazer aqui o meu relato:

  1. ESCOLHENDO O DESTINO:

Eu ainda não sabia que era tão apaixonada por viagens, mas hoje, quando olho para trás, percebo que aqueles foram meus primeiros passos. Eu já frequentava feiras de intercâmbios aqui no RJ, via as opções pelo mundo inteiro, mas fazer intercâmbio na Austrália era um sonho!

intercâmbio na Austrália

Sydney! Sonho do intercâmbio na Austrália
realizado!

  1. FECHAR DIRETO COM A ESCOLA OU COM AGÊNCIA DE INTERCÂMBIO NO BRASIL?

O intercâmbio na Austrália foi o segundo que eu fiz. O primeiro foi para a Argentina, conforme eu havia contado aqui. Como a empresa que me atendeu, a World Study, foi híper solícita na minha primeira viagem, não cotei com mais ninguém quando decidi pela segunda.

Em ambas as ocasiões eu verifiquei o valor da viagem direto com a escola e não havia qualquer diferença entre os valores cobrados pela escola e pela agência e percebi que não havia diferença, pois, pelo o que entendi, a escola de intercâmbio ganha uma comissão, um % em cima do valor da venda.

A única coisa que a World Study me cobrou a mais foi uma taxa administrativa baixa. Eu achei que valia a pena pagar isso e ter uma pessoa que fala o seu idioma e está na sua cidade e na de seus pais, que ficam em casa aflitos, para tirar as dúvidas.

  1. DECIDINDO O ROTEIRO:

Quando decidi finalmente fazer intercâmbio na Austrália por 3 meses, entendi que não dava para ficar no mesmo lugar, pois isso restringiria meus passeios. Lembre-se que por mais que você aproveite para viajar, seus dias de semana estão comprometidos com suas aulas de idiomas. Dessa forma, você só terá finais de semana e feriados para viajar.

intercâmbio na Austrália

A famosa Bondi Beach em Sydney

Dessa forma, escolhi dividir minhas aulas entre a linda Sydney e fiquei em dúvida sobre a segunda cidade, mas escolhi Gold Coast e não me arrependo.

BIZÚ:

Se você vai fazer intercâmbio na Austrália (ou qualquer outro país) só para estudo, veja se a escola tem unidades em diversas cidades do país que você escolher. As maiores geralmente têm e você pode dividir suas aulas.

intercâmbio na Austrália

Praia de água quentinha em Gold Coast

A escola geralmente é indicada pela agência de intercâmbio que você vai viajar. Eles devem te mostrar uma ou duas de referência

  1. AS POSSIBILIDADES DE ESTADIA

O próximo passo foi escolher a estadia. Na Argentina eu não tinha tido a opção de ficar em casa de família, só residência estudantil e na Austrália eu escolhi conhecer as casas de família com a ideia de ter uma segunda família mesmo. Infelizmente não foi assim.

Casa de família

Sydney foi minha primeira cidade. A casa que me hospedei tinha uma comida bem gostosa e saudável, não tenho do que reclamar. Entretanto, ela era muito longe e não achei correto a escola aceitar uma casa tão distante. Eu estudei na Embassy CES e amei a escola, a estrutura, os professores… a única coisa que posso dizer é em relação à minha estadia em Sydney é sobre a hospedagem. De trem eu levava cerca de 1hr para chegar à escola. O último horário do trem era as 22hrs, não dava para sair a noite.

Além disso, o tempo de banho era super restrito. Imagine aquela ampulheta do jogo Imagem e Ação! Então, tinha o tempo dela para o banho. Se eu fosse lavar o cabelo, eu tinha dois tempos de ampulheta. O banho só podia ser 1 por dia e tinha que ser no máximo até às 19hrs.

Eu sei que todas as casas têm regras, mas estávamos no verão de uma cidade com praia. Queria sair à noite, conhecer melhor a cidade. Nunca fui de demorar no banho, mas aquilo pra mim era muito incomodo.

Nesta casa em Sydney, morava uma mãe e um filho adolescente. que claramente, não gostava de me ver por lá. Ele me cumprimentou quando fomos apresentados e depois nunca mais.

Por último, quando fechamos o lugar, informei que na semana do Natal, que não tem aulas, eu viajaria, e que, dessa forma, a hospedagem não seria paga. Isso foi acatado pela escola. Quando informei isso à dona da nossa casa, ela não aceitou!

Foi quando decidi que sairia dali. Fui à escola e treinei todo o meu inglês. Eu nunca havia brigado em inglês, mas resolvi brigar e consegui o dinheiro de volta.

Então não devo escolher casa de família?

Não estou, com isso, dizendo que você não deve ficar em casa de família. Eu mesma, que não fui sozinha, estava acompanhada do meu então namorado, já tinha uma experiência de intercâmbio, não tive coragem de decidir por outro tipo de hospedagem do outro lado do mundo.

Estou somente contando o meu caso e te aconselhando a procurar no Google Maps a distância entre a sua escola, o centro da cidade e a casa que for ficar. Veja como é o transporte público. A internet evoluiu muito nesse meio tempo e está muito mais fácil obter essas informações. Você também pode conversar com a família por email. Eu fiz isso e não senti muita empatia, então posso dizer que já é possível se ter uma ideia.

Hospedagem por conta própria

O Lodge que encontrei em Potts Point ficou no mesmo valor da residência em casa de família, com a diferença de que não havia café e jantar, mas como eu comprava no mercado para fazer na cozinha, não tive nenhum custo muito maior.

A localização era ótima: muito pertinho da escola e de todo o resto. Um bairro delícia e próximo ao mar! Esse tal de intercâmbio na Austrália estava ficando cada vez melhor!

Na ocasião, também pedi o reembolso da estadia de Gold Coast para evitar esses problemas de distância. Procurei um lugar para ficar por lá por conta própria.

intercâmbio na Austrália

Piscina da casa em Gold Coast

Bom, procurei uma casa em Gold Coast em sites da internet e deu certo. Era uma casa muito boa. A piscina era enorme e os fundos da casa davam para um canal aonde circulavam barcos e jets da vizinhança. A família morava na casa principal e alugava os dois quartos da casa secundária, que foi dividida com um rapaz indiano. Muito gente boa o rapaz, mas não tinha os mesmos hábitos de higiene que nós. Dessa forma,  o banheiro principal ficou para uso dele e eu com o secundário, que ele não usava. Em um mês e meio foi necessário pressioná-lo algumas vezes para limpar suas coisas, recolher seu lixo, lavar sua louça, etc. De qualquer forma, a experiência de liberdade e de ter que resolver as coisas sozinha, em inglês, me amadureceu bastante.

Apartamento Estudantil

A terceira opção de hospedagem durante esse intercâmbio na Austrália foi o apartamento estudantil oferecido pela escola. Lá, o aluno mora sozinho em uma kitnet. Tenha em mente que é a opção mais cara. Quando fui, os benditos airbnb e alugue temporada não existiam. Hoje, se você preferir uma estadia como essa, pesquise bastante que você pode conseguir uma oportunidade legal.

BIZÚ: Se você for procurar uma hospedagem no airbnb, entre por esse link e ganhe R$ 100 de desconto na primeira reserva!!

  1. A CARGA HORÁRIA E O NÍVEL DO CURSO

Em Sydney, fiquei na penúltima turma do curso de inglês para estrangeiros da Embassy. Penúltima em termo de nível de inglês, sendo a primeira a mais básica e a última a mais avançada.

intercâmbio na Austrália

Turma de Inglês na Embassy durante o intercâmbio na Austrália

Tínhamos aulas e provas de gramática, listening, interpretação. Contratei o curso normal, somente na parte da manhã, mas havia a opção do intensivo, que durava o dia todo. A sua escolha sobre a modalidade do curso vai depender do seu conhecimento em inglês e do tempo que você tem lá. O que eu faria?

Curso Intensivo

  • Você só tem um mês e fala muito pouco de inglês? Viajar na região não está nos seus planos? Mergulhe nas suas aulas e faça o curso intensivo.

Curso regular

  • Você tem no mínimo dois meses e já tem algum conhecimento no idioma? Acredito que o curso normal seja suficiente. Mas não se esqueça: faça amigos que falem outros idiomas e conversem em inglês, vá passear bastante, pergunte tudo aos vendedores das lojas, aos garçons, converse o máximo possível e pratique!

Em Gold Coast eu fiquei na última turma do curso. A aula focava em conversas guiadas pelos professores, assistíamos filmes, líamos muitos textos.

Para complementar o aprendizado, eu sempre estava lendo um livro em inglês! Os livros lá podem ser encontrados em páginas recicladas e são baratos. Em casa, a TV estava sempre ligada e eu praticava muito o listening. Fora que eu tentava conversar com o máximo possível de pessoas na rua. São práticas que eu acredito que todo o intercâmbio deve fazer.

  1. O QUE FAZER FORA DAS AULAS

Responder essa é bem fácil. Eu vou fazer um post sobre as cidades nas quais morei, mas o que posso informar é que as escolas costumam combinar atividades com o seu curso de inglês. Enquanto na Argentina podíamos optar por aulas de tango, durante o intercâmbio na Austrália tínhamos a opção de fazer aulas de surf, por exemplo.

intercâmbio na Austrália

Aula de Surf durante intercâmbio na Austrália

  1. AS PESSOAS

Os Australianos nos receberam hiper bem. Ao saber que éramos Brasileiros, falavam de futebol, de Ronaldinho e de um lindo país (como se o deles não fosse!).

Nas aulas, eu tive contato com chilenos, colombianos, franceses, alemães, brasileiros (muitos!!!!!), japoneses (muitos também!) e turcos. Os japoneses são muito engraçados, falam inglês como o Cebolinha fala português.

Eles adotam um outro nome ocidental, mais fácil de aprendermos e guardarmos. Eles me explicavam que vinham do Japão com uma gramática muito boa, pois os professores de inglês deles não sabiam falar, então só treinavam gramática, mas não a conversação.

intercâmbio na Austrália

Churrasco (de hamburguer) com a galera!

Os turcos são muçulmanos e só soubemos disso depois de termos ficado muito amigos, o que desmistificou de forma fácil esse terrorismo que ronda o povo.

A francesa estudou em Sorbone, era apaixonada pelo Brasil e sabia cantar funk!

BIZÚ

Tente fazer muitos amigos. A troca de culturas, o treino no idioma é incrível e foi aí que aprendi muito.  Tínhamos churrascos com mais de 10 nacionalidades que acabavam em samba! Sim, samba com pandeiro, cavaquinho e etc.. Geralmente, as pessoas que estão vivendo essa experiência estão muito abertos ao contato! Aproveite!!

  1. A COMIDA

O intercambista não costuma ir com dinheeeiro para comer na rua todos os dias em bons restaurantes. Então, eu explorava, perguntei muito e achei restaurantes deliciosos e com bom preços. Mas, mesmo assim, as vezes não estava perto de nada e terminava comendo qualquer coisa. Isso me fez passar muito mal… Fiquei uma semana de cama com infecção intestinal.  A partir daí, eu, que não cozinhava nada, tive que aprender.

intercâmbio na Austrália

Geladeira lotada de produtos Home Brand

Os mercados na Austrália eram enormes, tinham uma variedade grande de opções e produtos,  eu adorava! A maioria deles tínhamos a opção de comprar um “Home Brand”, que são aqueles produtos da marca da casa, sem etiqueta. Eles eram muito mais baratos e 90% do que comprávamos por lá eram dessa marca sem marca. Rs. A partir daí eu emagreci  o que havia engordado e parei de passar mal.

  1. SAÚDE

Por favor, não vá ao exterior sem um seguro saúde. Como eu passei mal uma semana eu tive que ir ao médico. Fui muito bem atendida, mas paguei a consulta e pedi reembolso. Quem viaja por intercâmbio sabe que os cursos são contratados por semana, então se imagine uma semana de cama, mal saindo de casa… É um verdadeiro prejuízo!! Por isso você precisa se cuidar.

O médico me receitou algumas coisinhas que eu precisei comprar na farmácia. Nesse caso, como tinha receita, nada me foi cobrado. Eu demorei para acreditar, mas era verdade! De qualquer forma, não sei se isso é uma regra no país, se era algum tipo de convênio…. Eu fiquei tão feliz que não ia pagar nada, que esqueci de perguntar! rs

O que achou das nossas dicas para seu intercâmbio na Austrália?

Espero ter ajudado com a decisão do seu curso de intercâmbio na Austrália

Se você tiver alguma dúvida, não deixe de comentar e eu tento te ajudar!

A World Study não me patrocinou em momento algum, mas tenho um carinho enorme pelo atendimento da Bel e deixo aqui o seu contato:

Bel Bastos
(21) 2533-1263
bbastos@worldstudy.com.br
worldstudy.com.br

16 Comments

  1. Quando comecei a aprender chinês, também fiz um curso de verão (infelizmente muito mais curto que o seu) e posso confirmar que o melhor da experiência foi o convívio multicultural.
    O seu post está muito completo e ajudará bastante a quem procura um intercâmbio parecido. A Austrália foi uma boa escolha.
    Sobre países de 1º mundo, uma vez estava em Itália e o meu filho ficou doente, tive que o levar ao hospital. Não paguei a consulta e quando fui à farmácia buscar o antibiótico, a funcionária explicou que tinha muita pena porque eu não tinha cartão de identidade italiano, teria que pagar o medicamento. Ou seja, para eles seria grátis…
    Sigo para os posts sobre as cidades australianas.
    Abraço

  2. eu fiz um intercâmbio na NZ e fiquei numa casa de família até conseguir alugar um quarto numa casa de BR, vou dizer que não curti muito, as diferenças não eram tantas, mas percebi que fazem mais pelo dinheiro do que conhecer outras culturas

  3. Caramba que experiência incrível! Fazer um intercâmbio é seguramente muito enriquecedor. Brigar em inglês então, você se superou 😂😂😂
    Eu quando estou nervosa vem automático o português.

  4. Morar em casa de família é meio uma loteria mesmo. No Canadá tive a sorte de pegar uma casa ótima. De qualquer forma, é tudo parte da experiência, né?

    1. Com certeza. Se eu tivesse que fazer de novo, Não teria mudado nada!

    2. Com certeza! Se eu tivesse que fazer de novo, Não mudaria nada!

  5. Que experiência maravilhosa! Quero muito ir à Austrália 🙂 Morar na casa de uma família pode ser um pouco complicado, os hábitos são diferentes dos nossos…

  6. Com perrengue ou sem perrengue eu acho que intercâmbio, ou qualquer coisa que esteja fora de nossa zona de conforto, é um grande aprendizado mesmo. No fim, a gente aprende a se virar e até a brigar em outro idioma, como você mesma fez. 🙂

  7. Pô, que vontade de conhecer a Australia, que lindo! Queria ter feito um intercambio lá, viu, muito bom post.

  8. Verificar se a cidade tem unidades em vários locais do país é realmente é uma dica muito importante! Muito chato chegar para um intercâmbio e se sentir “preso” quando o objetivo era exatamente o contrário. Super informativo seu post! Adorei!

    1. Que Bom! Essa eh uma dica q sempre dou!!

  9. Gostei bastante do post e as dicas foram úteis pois em breve é minha filha quem vai encarar um intercâmbio.

  10. Boas dias. Acho que até ganhei vontade de tentar. 😀

  11. Quando eu fui de férias para a Nova Zelândia, pensei em ir para a Austrália. Mas me falaram que quem vai pra Austrália não quer mais voltar hahaha. Como não é meu momento ainda, não fui! hehe quem sabe em breve

  12. Pingback: Conheça Byron Bay, a vila mais Hippie da Austrália! ⋆ Destinos & Afins

  13. Amei seu post!! Muito legal saber sua experiência de intercâmbio por lá! Esse é um dos meus objetivos de intercâmbio a médio prazo e já peguei altas dicas!! Obrigada!

O que você achou??